« Home | Declaração da Gerência » 

quinta-feira, fevereiro 23 

ZELIG NA SALA OVAL

Não estou nada bem. Oval foi sempre uma coisa que me deixou tonto. Oval Faz-me lembrar das memórias que já não tenho da Feira Popular. Lembro-me daquelas mulheres a vender algodão doce em forma oval e do buço que tinham entre os joelhos e os tornozelos. Faziam-se sempre acompanhar de um anão de 50cm (não confundir com o John Holmes que esse só tinha 30) que lhes fazia o buço com uma faca do tamanho deles. Extraordinário eram os cheiros a fartura que saiam dos seus sovacos e que quando transpirados davam origem a artigos na science sobre as causas da chuva ácida. Pois é, assim nasceu Portugal.
Zelig

gosto da forma elíptica, sempre gostei. associo-a ao barroco, esse movimento subjacente em todas as épocas que agita, revolve o que estagna pela tranquila aceitação.
claro que depois tudo se aquieta de novo mas, entretanto, já acordou o que adormecera...

Enviar um comentário