« Home | Trabalhar na Irlanda » | MINUTO DE VIDA » | Ora Bollahs » | Só para imaculados » | Blogonovela de Verão » | Fetiche político » | Isento » | Lista de Supermercado » | ON THE ROAD BEIRUTE/TIRO » | A ausência de Zelig » 

segunda-feira, agosto 7 

Sair do anonimato

A multidão regressara a casa. O canal de televisão estava agora sintonizado nos milhares de lares do país. Fazia-se silêncio, aguardava-se a todo o momento a entrada dos protagonistas do dia, de uma qualquer guerra. Às 20h em ponto a notícia que todos esperavam. José, Maria, Tomé, Pedro, João, André, Susana, Tiago..., eram os nomes que acabavam de morrer, numa qualquer guerra. A multidão, agora dispersa em cada uma das suas casas, em uníssono, num extase quase orgásmico sentia-se feliz porque acabavam de sair do anonimato. A multidão entupia agora as linhas telefónicas para dar as boas novas aos seus entes mais queridos. E diziam, ao mesmo tempo, "- viste, viste, os nossos filhos morreram em directo, num qualquer canal de televisão", "uma oportunidade destas não é para todos, só para alguns."
Zelig