« Home | Ora Bollahs » | Só para imaculados » | Blogonovela de Verão » | Fetiche político » | Isento » | Lista de Supermercado » | ON THE ROAD BEIRUTE/TIRO » | A ausência de Zelig » | De la démocratie en Afrique » | Não menosprezar a liturgia da culpa » 

segunda-feira, agosto 7 

MINUTO DE VIDA

À medida que entrava no túnel de luz muito forte, dois pensamentos não me saíam da cabeça. Se eu não fumasse teria mais 10 anos de vida, essa era certa, mas quantos beijos teria eu dado na vida? E quantos poderia eu ter dado mais? Tarde demais, passei o túnel e a luz apagou-se sem me deixar fazer as contas.





bunker

«Até o jade se parte,
até o ouro se dobra,
até a plumagem de quetzal se despedaça...
não se vive para sempre na terra!
Duramos apenas um instante!»
dos Azetecas

Quantos beijos, quantas mãos
não estendeu,
quantos olhares, quantos sorrisos,
quanta doçura
não estendeu
a amigos que necessitavam...
que vazio nas nossas vidas
tarde demais?

Enviar um comentário