« Home | Ares irlandeses » | AGOSTO - QUINZENA DOS OVNIS » | Acredito mesmo II » | Não tem muita graça, eu sei » | Acredito mesmo » | Blogonovela - 2º episódio » | DESMANCHA PRAZERES » | Palettes de vítimas » | Boas e más notícias » | Publicidades fascinantes. círculo final. » 

terça-feira, agosto 22 

FEIRA POPULAR

Já não sou do tempo em que a Feira Popular ficava onde hoje é a Gulbenkian. A minha Feira sempre foi em Entrecampos e tinha carrinhos de choque, o Rei dos caracóis, farturas e vinho doce, o Café dos Pretos com banquinhos feitos de troncos de árvore, a montanha russa, o comboio fantasma, a espiral da morte (hoje mudada para o estacionamento do Corte Inglês), casas de jogos com matraquilhos e flippers, carroceis ainda com póneis de verdade e muitas pessoas. A minha Feira tinha cheiro a Verão.
Quando o Verão chegava, lembro-me de perguntar se a Feira já teria aberto as portas e quando o Verão partia, sabia que o Outono só chegaria quando a Feira fechasse.
Sei que a Feira de Entrecampos não era a mesma coisa da Feira da Gulbenkian e que a futura (?) Feira não será a mesma da de Entrecampos.
Tudo muda e nada será como dantes.

Tambem sou do tempo da de Entrecampos e é uma pena que tenha terminado...pouco me importa se a futura nao sera igual, o que eu quero é a feira de volta!! Estive lá há dias e aquilo está um caos bah ENFIM

Enviar um comentário