« Home | Ségolène, on t’aime » | CONGRESSO DO PS » | Eu não iria por aí » | Isto não pode passar em claro » | Passatempos » | O sistema » | Falsos moralismos » | Kinder surpresa » | Agarrem-se... » | Roteiro dos socialites » 

sexta-feira, novembro 24 

Não ao vão de escada

Concorda com a despenalização da interrupção voluntária do mandato, se realizada, por opção do Comité Central, nos primeiros 2 anos da legislatura, em nome da renovação das forças vivas da política e do operariado?

Nota: O Partido Comunista Português respeita a decisão referendária e fará campanha pela vitória do SIM, mas reitera que esta matéria deveria ser resolvida, com inteira legitimidade, em sede parlamentar.



Dylan T.